quinta-feira, 4 de junho de 2009

MuLhErEs e WC's PúBliCoS...


Por que é que as mulheres demoram tanto tempo quando vão casas-de-banho públicas?

O grande segredo de todas as mulheres a respeito da casa de banho é que, quando eras pequenina, a tua mamã leváva-te à casa de banho, ensináva-te a limpar o tampo da sanita com papel higiénico e, depois, punha tiras de papel cuidadosamente no perímetro da sanita.
Finalmente instruía-te: -"Nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública!
Depois, ensinava-te a "Posição", que consistia em balançares-te sobre a sanita numa posição de "sentada" sem que o teu corpo tivesse contacto com o tampo.
A " Posição" é uma das primeiras lições de vida de uma menina, importante e necessária, que nos acompanha para o resto da vida. Mas ainda hoje, nos nossos anos de maioridade, a " Posição" é dolorosamente difícil de manter, sobretudo quando a tua bexiga está quase a rebentar.
Quando TENS de ir a uma casa de banho pública, encontras uma fila enorme de mulheres que até parece que o Brad Pitt está lá dentro. Por isso, resignas-te a esperar, sorrindo amavelmente para as outras mulheres que também cruzam as pernas e os braços, discretamente, na posição oficial de “tou aqui, tou-me a mijar!”.
Finalmente é a tua vez! E chega a típica "mãe com a menina que não aguenta mais” (a minha filhota já não aguenta mais, desculpe, vou passar à frente, que pena!). Então, verificas por baixo de cada cubículo para ver se não há pernas. Estão todos ocupados!!!
Finalmente, abre-se um e lanças-te lá para dentro, quase derrubando a pessoa que ainda está a sair.
Entras e vês que a fechadura está estragada (está sempre!); não importa…Penduras a mala no gancho que há na porta… QUAAAAAL? Nunca há gancho!! Inspeccionas a zona, o chão está cheio de líquidos indefinidos e fétidos e não te atreves a pousá-la lá, por isso penduras a mala no pescoço enquanto vês como balança debaixo de ti, sem contar que a alça te desarticula o pescoço, porque a mala está cheia de coisinhas que foste metendo lá para dentro, durante 5 meses seguidos, a maioria das quais não usas, mas tens no caso de…
Mas, voltando à porta… como não tinha fechadura, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto com a outra baixas as calças num instante e pões-te na " Posição”…
AAAAHHHHHH… finalmente, que alívio… mas é aí que as tuas coxas começam a tremer… porque nisto tudo já estás suspensa no ar há dois minutos, com as pernas flexionadas, as cuecas a cortarem-te a circulação das coxas, um braço estendido a fazer força na porta e uma mala de 5 quilos a cortar-te o pescoço!
Gostarias de te sentar, mas não tiveste tempo para limpar a sanita nem a tapáste com papel; interiormente achas que não iria acontecer nada, mas a voz da tua mãe faz eco na tua cabeça “Nunca te sentes numa sanita pública”,e então ficas na “posição de águiazinha”, com as pernas a tremer… e por uma falha no cálculo de distâncias, um finííííssimo fio do jacto salpica-te e molha-te até às meias!!
Com sorte não molhas os sapatos… é que adoptar a " P osição” requer uma grande concentração e perícia.
Para distanciar a tua mente dessa desgraça, procuras o rolo de papel higiénico, maaaaaaaaaaas não hááááá!!! O suporte está vazio!
Então rezas aos céus para que, entre os 5 quilos de bugigangas que tens na mala, pendurada ao pescoço, haja um miserável lenço de papel… mas para procurar na tua mala tens de soltar a porta… ???? Duvidas um momento, mas não tens outro remédio. E quando soltas a porta, alguém a empurra, dá-te uma trolitada na cabeça que te deixa meio desorientada mas ràpidamente tens de travá-la com um movimento rápido e brusco enquanto gritas:- OCUPAAAAAADOOOOOOOOO!!
E assim toda a gente que está à espera ouve a tua mensagem e já podes soltar a porta sem medo, ninguém vai tentar abri-la de novo (nisso as mulheres têm muito respeito umas pelas outras).
Encontras o lenço de papel!! Está todo enrugado, tipo um rolinho, mas não importa, fazes tudo para esticá-lo; finalmente consegues e limpas-te. Mas o lenço está tão velho e usado que já não absorve e molhas a mão toda; ou seja, valeu-te de muito o esforço de desenrugar o maldito lenço só com uma mão.
Ouves algures a voz de outra velha nas mesmas circunstâncias que tu: “Alguém tem um pedacinho de papel a mais?” Parva! Idiota!
Sem contar com o galo da marrada da porta, o linchamento da alça da mala,o suor que te corre pela testa, a mão a escorrer, a lembrança da tua mãe que estaria envergonhadíssima se te visse assim… porque ela nunca tocou numa sanita pública, porque, francamente, tu não sabes que doenças podes apanhar ali, que até podes ficar grávida (lembram-se??)…. Estás exausta! Quando páras já não sentes as pernas, arranjas-te rapidíssimo e puxas o autoclismoa fazer malabarismos com um pé, muito importante!
Depois lá vais pró lavatório. Está tudo cheio de água (ou xixi? lembras-te do lenço de papel…), então não podes soltar a mala nem durante um segundo, pendura-la no teu ombro; não sabes como é que funciona a torneira com os sensores automáticos, então tocas até te sair um jactozito de água fresca, e consegues sabão, lávas-te numa posição do corcunda de Notre Dame para a mala não resvalar e ficar debaixo da água.
Nem sequer usas o secador, é uma porcaria inútil, pelo que no fim secas as mãos nas tuas calças – porque não vais gastar um lenço de papel para isso–e sais…
Nesse momento vês o teu namorado, ou marido, que entrou e saiu da casa de banho dos homens e ainda teve tempo para ler um livro de Jorge Luís Borges enquanto te esperava.
“Mas por que é que demoráste tanto?” - pergunta-te o idiota.
“Havia uma fila enorme” - limitas-te a dizer.
E é esta a razão pela qual as mulheres vão em grupo à casa de banho, por solidariedade: uma segura-te na mala e no casaco, a outra na porta e a outra pássa-te o lenço de papel debaixo da porta, e assim é muito mais fácil e rápido, pois só tens de te concentrar em manter a " Posição” e a dignidade!!! (texto adaptado)

Obrigada a todas as amigas que já me acompanharam à casa-de-banho e serviram de cabide ou de agarra-portas!
HOMENS, espero que, finalmente, deixem de nos perguntar, quando vamos a um WC público: "PORQUE É QUE DEMORÁSTE TANTO?"

17 comentários:

  1. Amiga,
    Você descreveu tão bem a situação das mulheres nos sanitários públicos! Melhor seria impossível.
    Beijos na Alma,

    ResponderEliminar
  2. e se alguém ainda tiver dúvidas, eu digo o endereço do teu blog! ô sofrimento viu! rsrs
    bjos

    ResponderEliminar
  3. Eis aí, mais um motivo para levantar as mãos para os céus, e agradecer ao nosso bom DEUS pelo fato de ter nascido homem. Brincadeira!

    Ah! Ainda não consegui levar o café e o sorriso.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderEliminar
  4. Muito bem detalhado! Agora estou sabendo! Muitas horas de expectativa eu passei aguardando o retorno de uma mulher que foi ao banheiro! Pelo menos, agora tenho certa noção da realidade!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  5. É tudo uma questão do tamanho das cuecas. Em Homem o fio dental não está divulgado universalmente em escala. Daí que nas Sras a higiene demore mais tempo. No Homem, um esfregar de mãos chega e até se saúda de imediato um amigo que acaba de entrar aflito para ir ao mesmo mictório

    ResponderEliminar
  6. está demais!!! só que te esqueceste de referir aí outra situação caricata...quando a própria luz dentro do cubículo da casa-de-banho funciona também por sensor e no meio desta atrapalhação toda por ti muito bem descrita, ainda temos de nos elevar um pouco mais para activar o sensor!!! eheheheheh!!!

    beijo enorme meu e da tua Bia!!! ***

    ResponderEliminar
  7. Pois é Gabriela,e ficamos nós os varões,com a cabecita martelando,porque musas nossas tanto demoram!Ufa!kibon varão nascido ter!
    Um verdadeiro ritual esse,das femninas nossas!

    Viva a Vida!

    Doce Gabriela!

    ResponderEliminar
  8. oi passando rapidinho, nao vim mais cedo pq tava dodoiiiii :(
    bom fds
    bjs

    depois eu volto com mais calma

    ResponderEliminar
  9. Oi amiga!
    Passei por aqui.
    Tem selo para vc.
    Vá buscar em curiosa.
    Sandra

    ResponderEliminar
  10. Gabi!!!!! Teto realmente muito bom sobre mullheres, suas particularidades, cultura, e desvaneios! Adorei..como sempre, né? Bjs e ótima semana..e bem feminina..srsrsrs :)

    ResponderEliminar
  11. Amiga Gaby excelente sua publicação, honrado e feliz por visitar este importante, belo e original espaço... Registro a minha imensa satisfação ao passar aqui, valeu! Quero compartilhar com você o poema abaixo de William Shakespeare
    ”Perguntei a um sábio,
    a diferença que havia
    entre amor e amizade,
    ele me disse essa verdade...
    O Amor é mais sensível,
    a Amizade mais segura.
    O Amor nos dá asas,
    a Amizade o chão.
    No Amor há mais carinho,
    na Amizade compreensão.
    O Amor é plantado
    e com carinho cultivado,
    a Amizade vem faceira,
    e com troca de alegria e tristeza,
    torna-se uma grande e querida
    companheira.
    Mas quando o Amor é sincero
    ele vem com um grande amigo,
    e quando a Amizade é concreta,
    ela é cheia de amor e carinho.
    Quando se tem um amigo
    ou uma grande paixão,
    ambos sentimentos coexistem
    dentro do seu coração.”
    Votos de um final de semana divertido e repleto de alegria. Muita prosperidade e bênçãos. Paz, luz, saúde e proteção. Felicidades, um fraterno e caloroso abraço. Fique com Deus.
    Valdemir Reis

    ResponderEliminar
  12. Olá Gaby!
    Estou a passar por aqui para o relembrar que a blogagem colectiva Aldeia da Minha vida inicia-se amanhã, com a troca de impressões entre participantes e entre 10 a 28 de Junho decorre a votação do melhor texto.
    Como manifestou interesse em participar, conto consigo para dar uma espreitadela.


    Participa blogando no www.aldeiadaminhavida.blogspot.com

    Estou a aguardar por si!

    Abraço, Susana

    ResponderEliminar
  13. GabY: Ainda estás a tempo para participar! Fico feliz por saber que estás com imensa vondade para participar (nunca é tarde para amigas como tu).

    Dou-te duas alternativas para te inscrever e enviar o teu texto e anexos:
    - aminhaldeia@sapo.pt
    - geral@susitour.com

    De qualquer modo, vou já colocar-te na lista ( uma vez que vais colocar uma postagem sobre a aldeia amanhã, de qualquer modo).

    Bjs Susana

    ResponderEliminar
  14. Isto é assim também no além mar?
    Mas ainda assim, prefiro tudo isso a ser homem e ter que ficar naquilo feio, um olhando pro outro, aqui tem o nome de mictório...horrível!

    ResponderEliminar
  15. Agradeço as palavras de carinho no blog..
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. GDB,

    Meu querido, só e só mm nessas alturas é q desejo ser homem!!! Bjs.

    Inêzita,

    Ó filhota, essa do sensor foi de mestre!!! É verdade, esse pormenor tb nos atrapalha bte a vida. Lá vem a indecisão: às escuras e arriscamo-nos a errar ou elevamo-nos e abanamos as mãos no ar e arriscamo-nos a falhar no buraco, na mm???
    Bj grande.

    A todos os outros amigos:

    Muito obrigada pelos comentários. Respondi a todos nos respectivos blogs.
    Bjs.

    ResponderEliminar