segunda-feira, 20 de abril de 2009

Talvez um dia...


Talvez um dia desnude
minha alma, sem pudor
abra meus mundos ao Mundo
num acordar redentor.
Talvez um dia liberte
sentimentos, frustrações,
angústias, lamentações,
gritos, sonhos, fantasias
me reinvente no Espaço
e, no tempo de um abraço,
tire a minha máscara de aço
para ser Eu, sem temor!
Talvez um dia aconteça
o que tem que acontecer
que a Terra gire ao contrário
para eu com ela renascer.
Talvez um dia haja um Tempo
onde eu me possa encontrar
sem ter medo de falhar
sem sentir que fui feita
apenas para ser perfeita
e que nunca posso errar!
Talvez um dia consiga
viver sem inquietação
não ceder nunca à pressão
ultrapassar toda a mágoa
sem os olhos rasos de água.
Talvez um dia eu aceite
as minhas idiossincrasias
sem farsas nem ironias.
Trilho um caminho escolhido
com a bagagem do que fui.
Não me assusta o desconhecido
porque sei que o futuro flui
entre o sonho adormecido
e cada dia vencido
na procura incessante
da harmonia do "SER"!
Por isso, talvez um dia,
seja criança outra vez
peça um beijo e um desejo,
feche os olhos bem fechados
e conte logo até três...
"eu"

5 comentários:

  1. Bonito e sentido poema!
    Beijinho
    Marie

    ResponderEliminar
  2. Tuas poesias são lindas e ser criança outra vez é legal sempre.Mantê-la dentro de nós, independentemente da nossa idade!um beijo e uma linda semana,chica

    ResponderEliminar
  3. Afinal andava uma poetisa escondida :)))

    Bjinho

    ResponderEliminar
  4. Mesmo MUITO escondida, amiga, rsrs!
    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. EU JÁ LE MANDEI UM BEIJO E AINDA NÃ TIVE RESPOSTA. JÁ CONTEI ATÉ 33 E NADA. FECHEI OS OLHOS E LEVEI UM CALDUÇO. QUE DEVO FAZER MAIS?

    ResponderEliminar